Raiva: Saiba como prevenir

A raiva é uma doença grave causada por um vírus que ataca o sistema nervoso (cérebro, medula espinhal e nervos) dos animais mamíferos.
3 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 3.00 (4 Votos)

O que é a Raiva?

Cão vacinado contra a Raiva é identificado na campanha Coleiras Vermelhas. (© WSPA)Cão vacinado contra a Raiva é identificado na campanha Coleiras Vermelhas. (© WSPA)A raiva é uma doença grave causada por um vírus que ataca o sistema nervoso (cérebro, medula espinhal e nervos) dos animais mamíferos.

O vírus é temporariamente eliminado principalmente pela saliva do animal doente e, geralmente, é transmitido quando o animal infectado morde, arranha profundamente ou lambe a pele lesionada de um outro animal ou pessoa.

Depois do início dos sintomas, os mamíferos normalmente adoecem e morrem, em média, em 10 dias.

Acesse: Coleiras Vermelhas: na luta contra a Raiva

Sintomas da Raiva

Os sintomas da Raiva podem demorar a aparecer. O período de incubação do vírus dura de semanas a meses, dependendo do local que foi inoculado (local da mordida), mas após atingir o sistema nervoso do animal, este pode apresentar os seguintes sinais de forma progressiva e rápida:

  • Mudança brusca de comportamento (inquietação, andar sem rumo, agressividade, isolamento);
  • Cães e gatos apresentam "tiques" como se estivessem mordendo o ar;
    Em cães doentes, o latido torna-se diferente, parecendo que o animal esta rouco;
    Salivação abundante;
  • Dificuldade para engolir;
  • Fotofobia (aversão à luz);
  • Mudança nos hábitos alimentares;
  • Paralisia das patas traseiras.

Diagnóstico da Raiva

Se o animal apresentar qualquer alteração física ou comportamental, leve-o imediatamente ao médico veterinário, para que ele faça uma avaliação sobre o estado de saúde de seu cão ou gato. Na suspeita de doença neurológica, deve-se sempre avaliar a possibilidade da infecção da Raiva e instituir os exames complementares para o diagnóstico.

Lembre-se: Nunca abandone ou sacrifique seu animal que está apresentando sintomas neurológicos sem saber a causa. Muitas doenças virais apresentam sintomas parecidos com a Raiva, como a Cinomose, que não afeta os seres humanos e possui tratamento. Sempre leve o seu cão ao médico veterinário, ele saberá diagnosticar se o caso é referente à Raiva ou não.

Raiva: como prevenir (assista ao vídeo / WSPA)

Vinte milhões de cães são brutalmente mortos a cada ano; ou seja, 38 cães por minuto. Esses cães são espancados, estrangulados, envenenados, intoxicados com gás ou eletrocutados. Este número equivale a matar por quase duas vezes todos os cães de estimação do Reino Unido. E a desculpa mais frequente para esta crueldade é que o extermínio de cães erradicará a Raiva. Não é verdade. Talvez a maior de todas as tragédias esteja exatamente na constatação de que tantas mortes não impedem a propagação da Raiva, doença que pode ser totalmente prevenida. Todas as evidências, inclusive as experiências dos trabalhos de campo da WSPA, indicam que somente campanhas humanitárias de vacinação e bem executadas protegem os cães e as pessoas no longo prazo. Diga sim à campanha "Coleiras Vermelhas" e ajude-nos a convencer o mundo pelo fim da crueldade. A coleira é o símbolo de nossa campanha de vacinação, proteção e esperança. Junte-se a nós da WSPA.

A Raiva pode ser 100% prevenida com medidas simples. Existem atualmente vacinas muito eficientes que previnem a raiva em pessoas e animais. Os cuidados indispensáveis para que você também possa ajudar a eliminar a raiva são:

  1. Se for ferido por cães, gatos ou animais silvestres, mesmo que o ferimento seja pequeno, lave imediatamente a área afetada com sabão e água corrente por 10 minutos e procure imediatamente o posto de saúde mais próximo de sua residência, para avaliação médica e se necessário o inicio do tratamento pós-exposição (soro e vacina antirrábica)
  2. Vacine o seu cão e o seu gato no 4º mês de vida (primovacinação) e repita-a anualmente.Tenha sempre a carteira de vacinação anotada e atualizada em mãos.
  3. Identifique seu animal com plaqueta e microchip, e cadastre-o nos órgãos competentes de sua cidade. Caso ele venha a se perder, será mais fácil encontrá-lo e identificar seu estado imunitário.
  4. Esterilize seu animal antes que ele atinja a maturidade sexual, contribuindo assim para o controle humanitário das populações de cães e gatos, evitando ninhadas indesejadas e o excesso populacional que contribui para a disseminação das zoonoses. Animais castrados também apresentam menor probabilidade de fugir de casa e brigar com outros animais.
  5. Não deixe o seu cão e o seu gato solto nas ruas, sempre passeie com coleira e guia, evitando que eles se exponham a brigas que possam trazer risco de infecção pelo vírus da Raiva.
  6. Supervisione e eduque as crianças para evitar que sejam mordidas por cães. Explique os sinais comportamentais caninos e felinos e sociabilize crianças e animais para que não haja problemas futuros.
  7. Não crie animais silvestres em domicílio e não alimente-os, evitando assim o contato com animais que possam estar infectados.
  8. Evite tocar ou incomodar animais desconhecidos com comportamento estranho, feridos, doentes, ou que estejam presos a cordas ou coleiras. Se precisar resgatar um animal nestas condições procure orientação do médico veterinário e tome medidas de precaução para não ser mordido.
  9. Não incomode animais que estejam comendo, bebendo, dormindo ou fêmeas que estejam com seus filhotes.
  10. Tome muito cuidado e evite ao máximo separar animais que estejam brigando.
  11. Não entre em grutas e nem toque em morcegos (vivos ou mortos). Ao se deparar com um morcego caído no chão durante o dia, não tente pegá-lo. Entre em contato imediatamente com o Centro de Zoonose de sua cidade para que façam a captura.
  12. Profissionais com alto risco de exposição ao vírus da Raiva, como os médicos veterinários, tratadores de animais silvestres, técnicos de laboratório e de serviço antirrábico devem receber profilaxia através da vacina de Raiva para uso humano.

Fonte: WSPA - Com informações do Ministério da Saúde

 

Classificação Geral (0)

0 de 5 estrelas

Postar comentário

Anexos

termos e condições.

Pessoas nesta conversa

  • Anna

    Muito bom!
    Crueldade isso que fazem com os animais...

    Selecionar e copiar URL:
    Compartilhar nas redes:
  • cadu

    cara eu venho nesse site para eu fazer trabalho de ciencias

    Selecionar e copiar URL:
    Compartilhar nas redes:
  • Yasmin

    amr , onde está como previnir??

    Selecionar e copiar URL:
    Compartilhar nas redes:
  • Diogo


    respondendo para  Yasmin

    Le direito e você vá ver

    Selecionar e copiar URL:
    Compartilhar nas redes:

Comentários

meu dog alemão foi diagnosticado há 2 meses com leishimaniose, apresentou apenas...
Sábado, 29 Abr 2017, 22:46   
meu dog alemão foi diagnosticado há 2meses com leishimaniose, apresentou apenas...
Sábado, 29 Abr 2017, 22:37   
Tenho um chow-Chow quero doar estou sem condições de tratar dele por motivo fina...
Sábado, 29 Abr 2017, 15:56   
Quero entregar um chow chow pra doação,ele é manso, carinhoso e não estou com co...
Sábado, 29 Abr 2017, 15:52   
Excelente explicação! gostei
http://comocuidardecachorro.com
Quinta, 27 Abr 2017, 16:11   
Parceiros Colaboradores
  • Pet House
  • Pet of Dreams
  • Criar Centro Veterinário
  • Clin Pet Veterinária
  • Hotel Pet Arca de Noé
  • JC Adestrador

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber os informativos da APIPA.
Cadastre-se agora. É gratuito!

Seja um sócio da APIPA

Associando-se à APIPA você vai estar praticando uma importante ação em benefício dos animais desprotegidos.

Seja um voluntário da APIPA

Venha colocar em prática as suas habilidades e o seu talento, em benefício dos animais carentes. Saiba como...