All for Joomla The Word of Web Design

Cadela Lilica depois de ficar famosa não suporta mais ser filmada

Desde que teve sua história divulgada, há cerca de dois meses, a cadela que há três anos leva comida para outros animais que convivem com ela em um ferro velho não tem mais sossego.

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1

Lilica mantém a rotina. Há três anos, ela percorre 2 km para garantir o jantar de seus amigos.

Cadela Lilica ficou famosa após sua história ser divulgada em telejornais e internet. (Imagem: Globo Repórter)Cadela Lilica ficou famosa após sua história ser divulgada em telejornais e internet. (Imagem: Globo Repórter)Deitada na sombra para se refrescar do forte calor em São Carlos (SP), Lilica não se importa com a aproximação das pessoas. Dócil, deixa passar a mão em sua cabeça e fazer carinho. Basta, porém, perceber alguma câmera apontada em sua direção para se levantar e sumir para o meio do mato.

Desde que teve sua história divulgada, há cerca de dois meses, a cadela que há três anos leva comida para outros animais que convivem com ela em um ferro velho não tem mais sossego. Lilica ganhou fama nacional, mas parece preferir o anonimato.

"Tem aparecido muita gente. As pessoas ligam, pedem para visitar, chegam aqui, passam a mão, tiram foto. Mas quando vem a imprensa ela fica tímida, com medo e se esconde no mato", contou a catadora Neile Vânia Antonio, que cuida de Lilica desde que ela foi abandonada ainda filhote na porta do ferro velho.

A reportagem do G1 esteve no local e constatou a dificuldade para fotografar o animal. Lilica estava deitada descansando e, quando dona Neile chegou em casa, a cadela foi ao seu encontro abanando o rabo. Bastou ver a câmera apontada para ela mudar a direção e correr para o mato. Dez minutos depois ela voltou e deitou em um canto no quintal. Ao perceber novamente a aproximação da câmera, ela se levantou e fugiu mais uma vez.

Lilica não pode ver uma câmera que muda a direção e foge para o mato. (Foto: Fabio Rodrigues / G1)Lilica não pode ver uma câmera que muda a direção e foge para o mato. (Foto: Fabio Rodrigues / G1)

Rotina

Todas as noites, entre 20h e 21h, Lilica cumpre rigorosamente a sua missão, mesmo que esteja chovendo. O destino é casa da professora Lúcia Helena de Souza, que cria 13 cachorros e 30 gatos, todos recolhidos da rua. Depois de servir o jantar da turma, a professora prepara uma marmita para Lilica.

A cadela mata a fome, pega a sacolinha com o alimento separado pela professora e segue de volta ao ferro velho. São dois quilômetros de caminhada na lateral de uma estrada bem movimentada. No escuro, a pista fica ainda mais perigosa, mas Lilica atravessa com segurança e em poucos minutos chega com o jantar dos outros animais com quem divide o espaço no ferro velho: um cão, um gato, um galo, uma galinha e até uma mula.

Ajuda

A história comoveu pessoas de todo o Brasil. A reportagem na internet teve mais de 96 mil compartilhamentos pelas redes sociais. Lilica também foi exibida ainda no programa 'Mais Você', de Ana Maria Braga, e no 'Globo Repórter' (video). Muitas pessoas entraram em contato com Neile oferecendo ajuda. Lilica ganhou sacos de ração e outros cuidados.

Assista ao vídeo

Cadela solidária enfrenta perigo para alimentar amigos. Ela é a alegria das crianças. É a companheira de dona Neile, proprietária de um ferro velho em São Carlos, no interior de São Paulo. Lilica foi abandonada na porta do ferro velho. Ela encontrou carinho e companhia de outros cachorros, gatos, galinhas.

"Uma veterinária da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) trouxe remédios para verme e deu injeção contra a raiva. As pessoas ligam todo dia e oferecem ração, remédios ou perguntam se podem trazer algo. Até cesta básica eu ganhei", contou a dona da cadela.

Dona Neile disse que tudo o que recebe é dividido entre os demais animais que vivem no local. Ela afirmou que nunca teve dificuldade para alimentá-los. "A ajuda é boa, sempre bem-vinda. Eu repasso também aos filhotes da Lilica, hoje castrada, que vivem em outros locais. É bom porque está sustentando mais bichinhos", ressaltou a catadora.

Instinto materno

Lilica é dócil e não se incomada que chegue perto, mas sem câmera. (Foto: Fabio Rodrigues / G1)Lilica é dócil e não se incomada que chegue perto, mas sem câmera. (Foto: Fabio Rodrigues / G1)Para o veterinário Alexandre dos Santos, Lilica mantém essa rotina porque tem um instinto materno e de liderança entre os bichos. Segundo o especialista, Lilica adotou nos últimos anos a postura da líder e sempre teve uma preocupação materna, que consiste em cuidar das outras raças com quem convive.

"Mesmo vivendo nesse ambiente onde tem tanta adversidade, ela não se esquece que no final de cada dia tem que sair, buscar o alimento e voltar para ajudar aqueles que estão presentes no local", disse.

Acostumada à situação, dona Neile contou que ficou muito emocionada e que até chorou quando viu Lilica na televisão. "Para mim é algo normal, mas isso comove. Uma mulher até me perguntou se eu estava doando a Lilica. Mas não, eu cuido dela e não quero me aproveitar da situação. Eu a amo, não vou doar, vender, nada. Eu vou cuidar dela até o fim", afirmou a tutora da cadela solidária.

Fonte: G1

Anúncio da APIPA | 22/JANEIRO/2019

Ajude agora! Falta RAÇÃO para GATOS no Abrigo da APIPA

Amigo da APIPA, nosso abrigo está sem estoque de RAÇÃO para GATOS (quase ZERADO) e precisamos alimentar mais de 230 bichanos (adultos e filhotes). Ajude esses inocentes para que o alimento não lhes falte, fazendo a sua doação de RAÇÃO para GATOS agora, pois a fome não espera! Informações com Isabel (86) 99951-0201 e Jane (86) 99924-1818.
Veja post no Facebook

Classificação Geral (0)

0 de 5 estrelas

Postar comentário

Anexos

termos e condições.
  • FRANCISCO DE aSSIS ALVES DOS SANTOS

    Escrevi um cordel sobre a cadela Lilica.

    É IMPRESSIONANTE COMO ALGUMAS COISAS TEM O PODER DE NOS COMOVER. POR TRÊS DIAS SEGUIDOS, VI O VÍDEO DA CADELA LILICA E TODAS AS VEZES TIVE A MESMA REAÇÃO, INCLUSIVE AGORA HÁ POUCO: AS LÁGRIMAS BROTARAM. LEIAM E COMPARTILHEM O CORDEL QUE FIZ EM SUA HOMENAGEM.

    A HISTÓRIA DE LILICA
    (DESPRETENSIOSAMENTE ENSINANDO LIÇÕES AO SER HUMANO)
    REGISTRADA NO EDA/FBN SOB O Nº: _______________________ .
    AUTOR:FRANCISCO DE ASSIS A.S (EPARCX – Escritor, poeta, artesão, artista plástico, roteirista, cronista, compositor, xilógrafo)

    PODERÁ PARECER BOBO,
    O TEMA ORA EXPOSTO,
    MAS TE IMPRESSIONARÁ,
    CAUSAR-TE-Á MUITO GOSTO,
    ACOMPANHAR ESSA ESTÓRIA,
    FORÇARÁ TUA MEMÓRIA,
    A ABANDONAR UM POSTO.

    UM POSTO DE IGNORÂNCIA,
    EM QUE A HUMANIDADE,
    TEM ENTRADO DIA-A-DIA,
    ESQUECENDO A CARIDADE,
    O AMOR MESMO, FRATERNAL,
    NÃO AQUELE DO NATAL,
    MAS O DA SINCERIDADE.

    A HISTÓRIA QUE CONTAREI,
    FAR-TE-Á REFLETIR MAIS,
    NOS TEUS ATOS DESUMANOS,
    CRUÉIS, PREJUDICIAIS,
    OU MESMO NA OMISSÃO,
    OU SEJA: FALTA DE AÇÃO,
    QUE TE MANCHA AINDA MAIS.

    QUANDO CADA SER SE FECHA,
    PENSA SÓ EM SEU UMBIGO,
    ESQUECENDO SUA ESSÊNCIA,
    QUE NASCEU PRA SER AMIGO,
    PR’AJUDAR, SER SOLIDÁRIO,
    E NÃO PRA SER SOLITÁRIO,
    INCORRE EM GRANDE PERIGO.

    QUANDO O SER NÃO SE ABRE,
    AO OUTRO QUE SE APROXIMA,
    AO VER SEU IRMÃO CAINDO,
    NÃO O CHAMA PARA CIMA,
    NÃO LHE ESTENDE A MÃO,
    É SINAL QUE O CORAÇÃO,
    NÃO É DIGNO DE ESTIMA.

    É PRECISO REFLETIR,
    PENSAR MELHOR NO QUE FAZ,
    AFIM DE QUE A NAÇÃO,
    EMFIM REENCONTRE A PAZ,
    PAZ DE HÁ TANTO DESEJADA,
    MAS QUE POR NÃO SER BUSCADA,
    HOJE EM DIA ELA JAZ.

    É PRECISO BUSCAR MAIS,
    NÃO APENAS DESEJAR,
    COM AS AÇÕES QUE EXECUTAS,
    PAZ NÃO IRÁS ENCONTRAR,
    SE BONS EXEMPLOS SEGUIRES,
    E DO MAL TU DESISTIRES,
    O BEM TE ACOMPANHARÁ.

    SE DIVIDIRES TEUS BENS,
    NÃO PENSARES TÃO SOMENTE,
    NAQUILO QUE TE APETECE,
    MAS QUISERES SER PRESENTE,
    AO TEU IRMÃO QUE PADECE,
    E SEMPRE MAIS EMPOBRECE,
    TERÁS TORNADO-TE GENTE.

    SE DEPOIS QUE TU COMERES,
    FARTANDO TEU APETITE,
    REGALAR-TE, FESTEJAR-TE,
    E FIZER MAIS UM CONVITE,
    PRA TUA PRÓPRIA BARRIGA,
    LEMBRA DA PESSOA AMIGA,
    AJUDE-A. VOCÊ PERMITE?

    NÃO DESPERDICE COMIDA,
    NÃO PREFIRA JOGAR FORA,
    QUANDO ESTIVERES COMENDO,
    LEMBRA-TE QUE NESSA HORA,
    OUTROS MILHÕES PASSAM FOME,
    AGRADECES O QUE COME,
    VER SE TE LEMBRAS DE OUTRORA.

    QUANDO FALTAVA ALIMENTO,
    QUANDO A COMIDA ERA ESCASSA,
    E SE SEMPRE TE FOI FARTA,
    LEMBRA-TE DE UMA MASSA,
    DE SERES IGUAIS A TI,
    HUMANOS QUE PRA SORRIR,
    TÊM FOME, NÃO HÁ GRAÇA.

    LILICA É A PROTAGONISTA,
    DA HISTÓRIA QUE LHES NARRO,
    ELA DAR-NOS-Á LIÇÃO,
    COMO A DO OLEIRO AO BARRO,
    SEM NADA PRONUNCIAR,
    FARÁ A GENTE ENXERGAR,
    QUE TEMOS SIDO UM ESCARRO.

    NA FRENTE NA DE UM FERRO VELHO,
    QUANDO NOVA, ABANDONADA,
    SUA NOVA HISTÓRIA COMEÇA,
    À BEIRA DE UMA ESTRADA,
    DONA NEILE A ENCONTROU,
    DO SEU DESTINOU CUIDOU,
    ELA FOI A PREPARADA.

    DEU ACOLHIDA À CADELA,
    POIS DE ANIMAIS CUIDAVA,
    ALÉM DE MÃE E ESPOSA,
    NEIRE MUITO TRABALHAVA,
    MAS UM ANIMAL CHEGANDO,
    ELA LOGO IA CUIDANDO,
    E ISTO LHE AGRADAVA.

    LILICA CRESCEU EM MEIO,
    A DISTINTOS ANIMAIS,
    OUTRO CACHORRO, CADELA,
    GALO, GALINHAS, PARDAIS,
    REINAVAM LÁ NO TERRENO,
    O CRIMA ERA AMENO,
    MAS SEU DESTINO ERA MAIS.

    TINHA ATÉ UMA MULA,
    ONDE LILICA ESTAVA,
    DONA NEILE ACOLHIA,
    A TODOS QUANTOS CHEGAVA,
    E ASSIM A VIDA SEGUIU,
    AÍ LILICA PARIU,
    MAS A VIDA NÃO PARAVA.

    ELA CUIDOU DOS FILHOTES,
    OITO FILHOS QUE NASCERAM,
    COM SEU INSTINTO MATERNO,
    OS OITO SOBREVIVERAM,
    E DEPOIS FORAM DOADOS,
    POR OUTROS FORAM CUIDADOS,
    EM OUTROS LARES CRESCERAM.

    E É AÍ QUE A LILICA,
    COMEÇA A GANHAR DESTAQUE,
    AMIGA DOS ANIMAIS,
    ELA AGÜENTOU O BAQUE,
    A AUSÊNCIA DOS FILHOTES,
    RESOLVEU DAR SEUS PINOTES,
    LIGEIRA COMO UM TRAQUE.

    COM SEU INSTINTO DE LÍDER,
    PROVEDORA DO ALIMENTO,
    TODA NOITE ELA SAIA,
    EM BUSCA DE UM PROVENTO,
    PR’AMIGOS ALIMENTAR,
    E PARA SE SACIAR,
    IA NO RUMO DO VENTO.

    DOIS QUILÔMETROS DE IDA,
    E DE VOLTA OUTROS DOIS,
    O SEU PERCURSO DIÁRIO,
    PARA BUSCAR O ARROZ,
    QUE ALIMENTARIA ELA,
    LILICA, BELA CADELA,
    E OS AMIGOS, ORA POIS.

    NÃO IMPORTA SE CHOVESSE,
    ESSE ERA SEU DEVER,
    ENFRENTANDO O PERIGO,
    O ESCURO, O MORRER,
    CRUZAVA A RODOVIA,
    OU PELO MATO SEGUIA,
    PRA BUSCAR O ‘”DICOMÊ”.

    UMA CERTA PROFESSORA,
    QUE POR LÚCIA ERA CHAMADA,
    NUMA NOITE PERCEBEU,
    A CADELINHA DANADA,
    REVIRANDO TODO O LIXO,
    E FOI ESPIAR O BICHO,
    LILICA, ESFOMEADA.

    FOI SSO QU’ELA PENSOU:
    “COM FOME ELA ESTÁ”,
    E A PARTIR DESSA NOITE,
    PASSOU A ALIMENTAR,
    A CADELINHA LILICA,
    QUE AGORA ESTAVA RICA,
    COM A TIA A LHE AJUDAR.

    A LÚCIA, A PROFESSORA,
    CRIAVA MEIA CENTENA,
    DE ANIMAIS ABANDONADOS,
    CUMPRIA A QUARENTENA,
    DE AJUDAR CADA BICHINHO,
    LILICA GANHOU CARINHO,
    NÃO APENAS DÓ OU PENA.

    A PROFESSORA PENSOU:
    “NÃO TEM DONO A CADELINHA”,
    TODA NOITE PREPARAVA,
    PRA ELA UMA MARMITINHA,
    TINHA UM ENCONTRO MARCADO,
    COM AQUELE ABENÇOADO,
    ANIMAL DE FINA LINHA.

    NUMA MÃO: IA UM BANQUINHO,
    E NA OUTRA: UMA SACOLA,
    NO CORAÇÃO: O CARINHO,
    NA CABEÇA: A ESCOLA,
    LÁ APRENDEU A LIÇÃO:
    QUERER BEM, TER ATENÇÃO,
    É BEM MAIS QUE DAR ESMOLA.

    NEM MESMO PRA ANIMAIS,
    A ESMOLA DEVE SER DADA,
    NUNCA SÓ DAR O QUE SOBRA,
    MAS REPARTIR COM O CAMARADA,
    SEJA ELE RICO OU POBRE,
    SE PLEBEU, OU MESMO NOBRE,
    VIDA TEM QUE SER AMADA.

    LILICA COMIA PARTE,
    DEPOIS FICAVA OLHANDO,
    UMA VIZINHA PERCEBEU,
    SEU OLHAR E ADMIRANDO:
    OLHA SÓ! ATÉ PARECE,
    QUE ELA TE AGRADECE,
    VEJA O RESTO ELA LEVANDO.

    A SACOLA ESTAVA ABERTA,
    A COMIDA DERRAMOU,
    A MARCA PELA ESTRADA,
    DE COMIDA ELA DEIXOU,
    FOI AÍ QUE A PROFESSORA,
    TEVE UMA IDÉIA PROMISSORA,
    A SACOLA AMARROU.

    ENTÃO LILICA PEGAVA,
    A SACOLA AMARRADA,
    E SEGUIA SEU CAMINHO,
    PELO MATO OU ESTRADA,
    UM DIA LÚCIA A SEGUIU,
    SABE O QUE ELA VIU?
    NOBRE LIÇÃO LHE FOI DADA.

    PARA QUEM FICOU EM CASA,
    A CADELINHA LEVAVA,
    CACHORROS, GALO, GALINHAS,
    A TODOS ALIMENTAVA,
    COMO UMA MÃE DE TERREIRO,
    CUIDADOSA O DIA INTEIRO,
    CADA “FILHO” SUSTENTAVA.

    TODOS COMIAM UM POUCO,
    ATÉ MESMO O PINTINHO,
    RECEBIA O ALIMENTO,
    RECEBIA SEU CARINHO,
    ISSO A LÚCIA EMOCIONOU,
    ACREDITE, ELA CHOROU,
    E SEGUIU PELO CAMINHO.

    E JÁ VAI PRA CINCO ANOS,
    QUE A HISTÓRIA SE REPETE,
    TODA NOITE A CADELINHA,
    AS PATAS NA ESTRADA METE,
    VAI VER SUA PROFESSORA,
    QUE AGUARDA ENCANTADORA,
    COM O RANGO QUE LHE COMPETE.

    DEPOIS QUE A CADELA COME,
    INTERAGE COM O HUMANO,
    COMO QUE SE DESPEDINDO,
    E DE IR FAZENDO PLANO,
    É ALGO ENCANTADOR,
    CHAMO A ISSO DE AMOR,
    E SEI: NISSO NÃO ME ENGANO.

    A FESTA NO FERRO VELHO,
    AONDE HABITA LILICA,
    É GRANDE, POIS A MÃEZONA,
    ESPERANDO NUNCA FICA,
    VAI À LUTA, VAI BUSCAR,
    PRA ELA E PRA AJUDAR,
    A QUEM ELA SE DEDICA.

    DE DIA É UMA FESTANÇA,
    TODA HORA É BRINCADEIRA,
    ANIMAIS SE DIVERTINDO,
    COM LILICA, A VIDA INTEIRA,
    E À NOITE, A MISSÃO,
    IR BUSCAR A REFEIÇÃO,
    PRA TODA A “CABRUERA”.

    E DEPOIS QUE TODOS JANTAM,
    DONA NEILE GUARDA A SOBRA,
    PARA O CAFÉ DA MANHÃ,
    POIS NÃO DESPREZA A OBRA,
    DA CADELINHA LILICA,
    QUE MUI SATISFEITA FICA,
    COM ESSA SUA MANOBRA.

    A CADELA DÁ LIÇÃO,
    GRANDIOSA DE ALTRUÍSMO,
    PENSA NELA E NOS OUTROS,
    NÃO QUER NADA COM O EGOÍSMO,
    CACHORRO NÃO SENTE ISSO,
    ISTO É UM GRANDE FEITIÇO,
    TEM NOS LEVADO AO ABISMO.

    PRA FINALIZAR O ASSUNTO,
    O DESTINO DA CADELA,
    TORNOU-SE TÃO GRANDIOSO,
    E SUA VIDA É TÃO BELA,
    QUE A SUA HISTÓRIA AJUDOU,
    A MULHER QUE LHE AMPAROU,
    O BICHO CUROU MAZELA.

    EM UM PROGRAMA GLOBAL,
    SUA DONA FOI CHAMADA,
    GANHOU TRINTA MIL REAIS,
    TEVE A VIDA MUDADA,
    ANIMAL AJUDA O HUMANO,
    PORQUE É MENOS INSANO,
    E MUITO MAIS CAMARADA.

    09/11/2013

    Francisco de Assis Alves dos Santos – Juazeiro do Norte – CE
    Rua Rui Barbosa Nº 2118 – Bairro Timbaúbas – Juazeiro do Norte -CE
    E-mail assispoeta@hotmail.com - canal no You tube: Zihuatanejo
    Tels: (88) Oi: 8838-3940 Tim: 9937-7279 Claro: 9289-8688 Fixo (Oi): 3572-0982

    Ver mais

    Selecionar e copiar URL:
    Compartilhar nas redes:
  • Rniae

    Gostaria do endereço para mandar doação pelos correios

    Selecionar e copiar URL:
    Compartilhar nas redes:

Últimas No Brasil

Comentários

Bom dia, Luciana. Infelizmente não temos mais vaga.
Quinta, 21 Fev 2019, 9:00   
Bom dia, Aline. Infelizmente não temos mais vaga.
Quinta, 21 Fev 2019, 8:59   
Bom dia, Alexandre! Temos sim. Venha nos visitar e conhecer o nosso abrigo.
Quinta, 21 Fev 2019, 8:53   
Bom dia, eu nao moro no Brasil e ja estou proximo a viajar para o exterior,???
...
Quinta, 14 Fev 2019, 15:42   
Vcs estão tendo filhote de 6 meses medio porte ou grande porte, pode ser médio p...
Quarta, 13 Fev 2019, 8:49   
Parceiros Colaboradores
  • Restaurante Tomato
  • Pet House
  • Pet of Dreams
  • Criar Centro Veterinário
  • JC Adestrador
  • Clin Pet Veterinária

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber os informativos da APIPA.
Cadastre-se agora. É gratuito!

Seja um sócio da APIPA

Associando-se à APIPA você vai estar praticando uma importante ação em benefício dos animais desprotegidos.

Seja um voluntário da APIPA

Venha colocar em prática as suas habilidades e o seu talento, em benefício dos animais carentes. Saiba como...