All for Joomla The Word of Web Design

Animais com calazar são assassinados no CCZ de Fortaleza (CE)

CCZ é acusado de exterminar animais com requinte de crueldade. Cerca de 30 animais são mantido em uma mesma baia e disputam um único recipiente de ração.

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1

CCZ é acusado de exterminar animais com requinte de crueldade. Cerca de 30 animais são mantido em uma mesma baia e disputam um único recipiente de ração.

Visita surpresa ao CCZ flagra maus-tratos aos animais. Na baia onde os animais ficam só havia um prato com ração para alimentar todos os animais. (Foto: OAB-CE)Visita surpresa ao CCZ flagra maus-tratos aos animais. Na baia onde os animais ficam só havia um prato com ração para alimentar todos os animais. (Foto: OAB-CE)

A prática de sacrificar animais diagnosticados com Leishmaniose – ou Calazar, como é popularmente conhecida – existe há 10 anos em Fortaleza, e sempre causou polêmica entre veterinários e associações de defesa aos animais.

Uma denúncia anônima da prática de eutanásia de animais com requintes de crueldade nas dependências do Centro de Controle de Zoonoses de Fortaleza (CCZ) chegou até o gabinete da Sub Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais, na Ordem dos Advogados do Estado do Ceará (OAB-CE). Após analisarem a denúncia, um grupo de 10 advogados da Sub Comissão decidiu realizar uma visita surpresa ao órgão para apurar a veracidade da denúncia.

Durante a visita, os funcionários informaram que os animais são alimentados uma única vez ao dia, o que ocorre sempre por volta do meio dia. Além disso, em cada baia são mantidos 25 a 30 animais, disputando um único recipiente de ração. O objetivo, segundo as denúncias, é de enfraquecer o animal para que ofereça pouca resistência no procedimento da eutanásia. O anestésico necessário para ser utilizado antes da eutanásia também não foi encontrado.

"O local é sujo, com grades enferrujadas. Eu não vi nem água pros animais se hidratarem. Mas o que mais me impressionou foi uma marreta suja e enferrujada que encontramos na sala em que os animais são eutanasiados.", relembra Tiziane Machado, advogada membro da Sub Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais na OAB-CE.

Marreta enferrujada encontrada no local onde animais são sacrificados. (Foto: OAB-CE)Marreta enferrujada encontrada no local onde animais são sacrificados. (Foto: OAB-CE)

O Dr. Nélio Morais, administrador do Centro de Controle de Zoonoses de Fortaleza e vice-presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Ceará (CRMV-CE) informou que as condições precárias do Centro, como ferrugem e sujeira, são consequências da gestão anterior:

"Quando eu cheguei aqui era muito pior. Eu queria que o grupo da OAB tivesse vindo aqui antes pra ver como era a situação."

Segundo ele, o centro passará por uma reforma e contará com parcerias de Organizações Não Governamentais (ONGs) e da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual do Ceará (UECE) para ampliar os serviços. Também enfatizou que possui todas as notas fiscais que comprovam as compras de ração e de anestésicos, rebatendo as denúncias.

Apesar de ser uma prática legal e adotada pelo Ministério da Saúde, a eutanásia é questionada pela advogada Tiziane Machado:

"Quem transmite a doença não é o animal, e sim o mosquito. Então porque mata-se o animal e não há um combate ao mosquito? Enquanto esses animais morrem, o mosquito continua vivo. Precisamos, na verdade, tratar esses animais, e não sacrificá-los."

O grupo enviou um ofício à administração do CCZ em que pedia a relação de todos os animais eutanasiados e os processos que comprovam que o animal estava doente, além de questionar a eficácia do exame que detecta o calazar, mas até hoje não teve resposta. Então o grupo fez um relatório com fotos e informações do que presenciou no local e enviou ao Ministério Público. O promotor já pediu ao juiz que determine a suspensão das eutanásias. "Agora estamos aguardando a decisão do juiz.", explica a advogada.

Por ordem do MS, 2.456 animais foram sacrificados em Fortaleza em 2012

Apesar de o Tribunal Regional Federal da 3ª Região ter autorizado o tratamento da leishmaniose visceral em cães de todo o país, o Centro de Controle de Zoonoses de Fortaleza vai continuar a sacrificar os animais que forem diagnosticados com a doença. A recomendação do Ministério da Saúde (MS) em não aceitar o uso de medicamentos, porém, tem gerado discussões entre veterinário e associações de proteção a animais.

Ao todo, 2.456 animais com calazar positiva (quando é identificada e constatada) foram sacrificados em 2012, resultando em uma média por mês de 204,6 sacrifícios em Fortaleza.

O doutor Sérgio Franco, responsável pelo setor de combate à Leishmaniose do Centro de Zoonoses, explica que o órgão obedece ao que é preconizado pelo ministério, que é contra o tratamento de cães com remédios. Ele esclarece, primeiramente, que não há nenhuma medicação específica para cães que tenha a efetividade comprovada.

"O ministério não quer essa dúvida e a utilização de remédios humanos em cães, como prevê a decisão judicial, pode provocar resistência e tornar o tratamento da doença, inclusive em humanos, algo mais difícil ainda", afirma Franco, ao lembrar que a doença não tem cura e, por isso, o tratamento canino tem que ser sempre mantido. "É como se fosse diabetes, ou seja, o tratamento nunca pode ser interrompido", acrescenta.

Opiniões

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Ceará (CRMV-CE) não quis se pronunciar sobre o caso, pois ainda está estudando o caso. De acordo com o presidente, José Filho, o conselho cumpre a ordem judicial e segue as recomendações do conselho federal da classe, que considera que o sacrifício deve ser realizado. "Se houver alguma denúncia de médico veterinário tratando animal, a gente tem que avaliar, mas ele vai estar sujeito ao processo ético do conselho federal", explicou.

A favor do tratamento

O veterinário Ricardo Henz considera que o tratamento de animais com a doença é uma é uma alternativa. "O Ministério da Saúde aponta que, em 12 anos, 2.600 pessoas morreram de calazar. Esse dado é usado como terrorismo", considera.

Para Henz, a política utilizada pelo ministério atesta sua incompetência. "A política de controle do calazar, que existe há 12 anos, está dando errado. A cada dia morre mais gente. E continua-se matando a vítima [o animal] e deixando o bandido solto [o inseto]", ressalta. Henz ainda afirmou que na Europa os animais são tratados e a doença está controlada.

Ele ainda explicou que, há 15 anos, a doença era restrita ao Nordeste, mas acabou se espalhando pelo resto do país. Por isso, o governo deveria, segundo o veterinário, traçar três ações: a primeira seria a de combate ao mosquito transmissor; a segunda a de educação sanitária e a última a de eliminação de cães que não possam ser tratados. "Só o veterinário pode determinar qual animal pode ser tratado. Tem cães que são falso positivos, que nem a doença têm, e são sacrificados", afirma.

Remédio para humanos e animais

O Ministério da Saúde reafirma, por meio de nota, que os medicamentos utilizados para tratar a leishmaniose visceral humana não podem ser usados para a leishmaniose visceral canina. "Embora a medicação, em uso animal, possa resultar no desaparecimento dos sinais clínicos, os cães continuam como fontes de infecção para o vetor, representando um risco para saúde da população humana e canina. Essa prática pode tornar o parasita causador da doença resistente às drogas atualmente disponíveis", constata.

Animais sacrificados durante o ano
de 2012 em Fortaleza (CE)

Mês

Número de animais sacrificados

Janeiro

356

Fevereiro

287

Março

274

Abril

201

Maio

237

Junho

143

Julho

99

Agosto

198

Setembro

163

Outubro

211

Novembro

89

Dezembro

198

Total

2456

*Dados do Centro de Controle de Zoonoses de Fortaleza

Com informações do Tribuna do Ceará

 

Classificação Geral (0)

0 de 5 estrelas

Postar comentário

Anexos

termos e condições.
  • NENHUM COMENTÁRIO POSTADO
    SEJA O PRIMEIRO!

Últimas No Brasil

Comentários

ANA
Por favor nescessito de ajuda ,mudou um ser na minha rua ,ela sai e deixa o cach...
Quinta, 21 Mar 2019, 23:54   
Oi queria saber se vcs resgata animais que estão sendo maltratados,minha visinha...
Quinta, 21 Mar 2019, 14:56   
Bom dia, você é de qual cidade? Tenho interesse!
Quinta, 21 Mar 2019, 10:31   
Me ajudem por favor.
Quinta, 21 Mar 2019, 0:30   
Olá Boa noite! Eu tenho um cãozinho e ele ta fomitando demais... Queria a ajuda ...
Quinta, 21 Mar 2019, 0:29   
Parceiros Colaboradores
  • Restaurante Tomato
  • Pet House
  • Pet of Dreams
  • Criar Centro Veterinário
  • JC Adestrador
  • Clin Pet Veterinária

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber os informativos da APIPA.
Cadastre-se agora. É gratuito!

Seja um sócio da APIPA

Associando-se à APIPA você vai estar praticando uma importante ação em benefício dos animais desprotegidos.

Seja um voluntário da APIPA

Venha colocar em prática as suas habilidades e o seu talento, em benefício dos animais carentes. Saiba como...