All for Joomla The Word of Web Design

Luisa Mell é ameaçada por criminosos 'fabricantes de filhotes'

Após realizar o maior resgate de animais já registrado no país, a ativista Luisa Mell sofre ameaças de criminosos 'fabricantes de filhotes'. Pet shop deixa de vender animais para apoiar ONGs e protetores independentes.

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1

Após realizar o maior resgate de animais já registrado no país, ativista sofre ameaças de criminosos 'fabricantes de filhotes'. Pet shop deixa de vender animais para apoiar ONGs e protetores independentes.

Uma operação policial que resultou em resgate de 1.707 cachorros de raça explorados para fins comerciais num canil clandestino em Piedade (SP), na semana passada, ainda provoca reações. Protetores e ativistas envolvidos na ação relatam que estão sofrendo ameaças por parte de criminosos que defendem esta bárbara atividade comercial, contudo, caso também traz repercussão positiva para a causa animal. A Petz, pet shop que era um dos clientes do tal canil, anunciou nesta quarta (20) que não vai vender mais filhotes em suas 82 lojas pelo país.

Assista ao vídeo

A ativista Luisa Mell passou por momentos de apuros na noite desta terça-feira (19). Ela usou o Instagram para relatar que sofreu ameaças de morte durante uma tentativa de invasão a um centro de triagem que ela está usando para separar animais resgatados por seu instituto. “Os criadores queriam me matar, invadir e roubar os animais”, afirmou.

Luisa Mell teve de sair escoltada pela Polícia Militar. Depois, ela relatou detalhes do que aconteceu. “Tentaram invadir nosso centro de triagem, lugar em que separamos os animais que vão para abrigos. Eles tão querendo me linchar, me matar, acabar com nosso trabalho de qualquer maneira”, denunciou a ativista, que resgata animais, principalmente cães de raça, que são mantidos em condições degradantes nos canis e forçados à procriação para fins comerciais.

“A gente já tem mais provas, vocês não sabem das barbaridades que aconteciam naquela exploração terrível. Vocês podem fazer o que vocês quiserem, nunca vão conseguir calar a minha voz. A minha voz já se disseminou, muitas pessoas também falam a mesma coisa e estão nessa luta”, desabafou a ativista.

Luisa agradece à Policia, que prestou assistência quando ela precisou ser escoltada. A ativista mostra revoltada e manifesta o seu repúdio ao comércio cruel de vidas inocentes, atividade criminosa que serve para dar lucro a exploradores inescrupulosos, denominados por ela de 'fabricantes de filhotes'.

Assista ao vídeo / Luisa Mell

Beatriz Silva, da ONG Bendita Adoção, também disse por meio das redes ter sido ameaçada por envolvimento com o resgate. Ela e outros protetores fizeram uma espécie de vigília para proteger o centro de triagem que foi ameaçado por criminosos.

Beatriz afirma que muitas notícias falsas são disseminadas, especialmente contra Luisa Mell. “Estão usando o WhatsApp como instrumento de fake news”, afirma.

Pet shop deixa de vender animais para apoiar protetores

Conforme informou a Petz, o espaço que era usado para a comercialização de cães e gatos agora será destinado a ONGs e protetores independentes da causa animal, para eventos de adoção permanentes ou temporários.

Sergio Zimerman, presidente da empresa, diz que tomou a decisão após ser informado que o processo com os demais parceiros era 99% seguro, sem chances de ocorrer novos episódio de maus-tratos. “Ocorre que 99% não são 100%. E se há a menor possibilidade de isso acontecer de novo, então não serve”, afirma.

A Petz vendia filhotes desde a inauguração, há 16 anos. Segundo Zimerman, o objetivo era garantir o bem-estar animal e combater o comércio irregular. “A maneira como cães e gatos eram comercializados nas ruas nos incomodava muito. Fosse em porta-malas de carros, em feiras em praças públicas ou em postos de gasolina na beira de estrada. Decidimos então trazer essa comercialização para dentro das nossas lojas para que houvesse um processo mais controlado e mais ético.”

No entanto, as denúncias de maus-tratos que vieram à tona com a operação em Piedade levaram a empresa a reavaliar e suspender esse tipo de comércio cruel.

Opinião: Luisa Mell quer mesmo só aparecer?

A ativista é alvo de diversos comentários negativos na internet - e aqui vai uma análise de seu trabalho.

Luisa Mell virou a ativista dos animais mais conhecida do país. E sua popularidade gera todo tipo de reação. Apesar da enxurrada de elogios, é muito comum ler comentários negativos sobre o trabalho da moça. “Só quer aparecer” talvez seja o mais frequente. Pois bem, e daí?

Luisa se mostra bastante popular nas redes sociais – tem mais de 2,8 milhões de seguidores no Instagram. Supondo que a protetora deseje apenas holofotes e busque os casos de mais repercussão para brilhar, conseguir presença em programas de TV, pleitear cargos políticos ou vender livros. Faz diferença levando em conta o resultado de suas ações?

Ela acaba, por exemplo, de se responsabilizar por abrigar mais de 1 700 cães (!) vindos de um canil clandestino do interior do Estado de São Paulo. Não é ela sozinha que faz tudo, obviamente, e é importante ressaltar isso. Tem a ajuda de muita, muita gente. Mas sua notoriedade consegue mobilizar diversas dessas pessoas.

Quando Luisa publica uma foto ao lado da cantora Anitta em um festa de Ano Novo, por exemplo. A aproximação com famosos ajuda-a a circular em rodas de personalidades? Sim. Mas, ao mesmo tempo, logo após o encontro, a funkeira divulgou em seu Instagram – com 34 milhões de seguidores – um documentário sobre a indústria da carne. O tema do veganismo tomou assim proporções enormes, raramente vistas.

Muitas das críticas, como sempre, vêm de gente que não levanta da cadeira para ajudar ninguém. Às vezes, são os mesmos que dizem “por que não ajudam as criancinhas em vez dos cachorros?” e, no final, não auxiliam nem um, nem outro. Não importa se é resgate 'televisionado', com direito a choro em frente às câmeras (tem até quem reclame que a moça anda maquiada), Luisa põe a mão na massa e consegue divulgar o tema para uma grande quantidade de pessoas.

É fundamental sempre ficar de olho e fiscalizar o trabalho de quem vive de doações, como a ativista. Mas denúncias infundadas ou reclamações superficiais não se justificam para alguém que dá tanta visibilidade à causa animal.

Por Carolina Giovanelli

VejaSP

ADOTE UM ANIMAL CARENTE!

Para adotar um amiguinho em Teresina, PI, conheça o abrigo de animais carentes da APIPA.

CNPJ: 10.216.609/0001-56 | APIPA® - ASSOCIAÇÃO PIAUIENSE DE PROTEÇÃO E AMOR AOS ANIMAIS
  Rua Trinta e Oito, 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai (próximo à UNINOVAFAPI)
Teresina, PI - CEP 64073-167 -   (86) 98846-8020 -   Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. -   MAPA
  Horário de visitação: das 14 às 16 horas, todos os dias, inclusive feriados.

Com informações do Bom Pra Cachorro

Classificação Geral (0)

0 de 5 estrelas

Postar comentário

Anexos

termos e condições.
  • NENHUM COMENTÁRIO POSTADO
    SEJA O PRIMEIRO!

Últimas No Brasil

Comentários

ANA
Por favor nescessito de ajuda ,mudou um ser na minha rua ,ela sai e deixa o cach...
Quinta, 21 Mar 2019, 23:54   
Oi queria saber se vcs resgata animais que estão sendo maltratados,minha visinha...
Quinta, 21 Mar 2019, 14:56   
Bom dia, você é de qual cidade? Tenho interesse!
Quinta, 21 Mar 2019, 10:31   
Me ajudem por favor.
Quinta, 21 Mar 2019, 0:30   
Olá Boa noite! Eu tenho um cãozinho e ele ta fomitando demais... Queria a ajuda ...
Quinta, 21 Mar 2019, 0:29   
Parceiros Colaboradores
  • Restaurante Tomato
  • Pet House
  • Pet of Dreams
  • Criar Centro Veterinário
  • JC Adestrador
  • Clin Pet Veterinária

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber os informativos da APIPA.
Cadastre-se agora. É gratuito!

Seja um sócio da APIPA

Associando-se à APIPA você vai estar praticando uma importante ação em benefício dos animais desprotegidos.

Seja um voluntário da APIPA

Venha colocar em prática as suas habilidades e o seu talento, em benefício dos animais carentes. Saiba como...